A certeza da verdade em qualquer âmbito da vida deve gerar o senso de confiança coerente, segurança pessoal e tranquilidade de espirito!  É inadmissível e desconfortável viver sem as convicções que formam a base moral, espiritual e ética da humanidade!

Somos surpreendidos pela convivência diária em meio a uma geração mal direcionada e enfeitiçada por inúmeras falácias, pressuposições dissimuladas e conclusões sem fundamentos!

Será que toda verdade tem um cunho empírico?  Será que os métodos científicos conseguem assegura a essência da verdade?  Onde estão os critérios que formalizam a essência da verdade?  Será que existe um ponto de partida pelo qual podemos vislumbrar a veracidade de todas as coisas?

A pergunta já foi enunciada por Pilatos: “Que é a verdade?”, perguntou Pilatos. Ele disse isso e saiu novamente para onde estavam os judeus, e disse: “Não acho nele motivo algum de acusação.” (Jo 18.38).  O próprio Pilatos, responsável por uma das maiores decisões entre os homens, foi infeliz em sua conclusão precoce e infantil!  Onde estava sua capacidade de distinguir entre verdades subjetivas e objetivas?  

A essência da verdade está além dos conceitos teóricos, além das avaliações  empíricas ou observações humanas, além da intuição de alma, além da sensibilidade subjetiva, além da habilidade cognitiva, além do processo racional acadêmico e além da criatividade facultativa!
A verdade almejada, em sua gestação, emana do Ser Criador, o Redentor e Sustentador de toda existência no universo (Hb 11.3)!
O Eterno comunica sua existência através da natureza e de forma objetiva, na Revelação da Bíblia (Rm 1.18—21)!

O homem criado precisa depositar sua crença nas verdades reveladas pelo Senhor da Criação, e assim, reavaliar constantemente suas conclusões e pensamentos passíveis pelo crivo da Verdade, as Escrituras Sagradas (2 Tm 3.15—16; Hb 11.6)!

A Bíblia é o Livro da Verdade, divinamente inspirado, inerrante e infalível e portanto a regra de fé e prática (2 Pd 1.20—21)! Ela revela a Verdade através da pessoa encarnada e eterna de Jesus Cristo, o Criador dos céus e da terra (Jo 1.3).  A Escrituras comunicam verdades que já existiam antes de haver pensamento e capacidade humana (Cl 1.17)!  Toda verdade pragmática tem a sua raiz e princípio no eterno passado!  A Verdade é portanto absoluta e não relativa (Jo 7.17)!

A essência de toda Verdade foi inicialmente revelada à humanidade, quando Deus se fez carne e habitou entre os homens (Jo 1.14, 18)!  A segurança da Verdade está em Cristo Jesus (Jo 8.31—32)!  “Respondeu Jesus: “Eu sou o caminho, a verdade e a vida. Ninguém vem ao Pai, a não ser por mim.” (Jo 14.6).   Além do mais, segue-se que o Messias Criador concedeu e estabeleceu verdades através das leis da criação, dos princípios morais e dos preceitos concedidos para o bem estar dos homens (Rm 15.3—5)!

Observa-se isto nos fundamentos e existência das instituições divinas do governo civil, da Igreja de Cristo e da família (Rm 12.17-21 —13.1—7)!  A base da ordem e progresso se fundamentam na Verdade, sustentadas por princípios eternos, sendo a Escrituras Sagradas o elo de toda verdade (Rm 15.3—5)!

Tranquilizamos o coração em meio as desavenças e a busca pela Verdade!

Respondeu Jesus: “Parem de me criticar.  Ninguém pode vir a mim, se o Pai, que me enviou, não o atrair; e eu o ressuscitarei no último dia.  Está escrito nos Profetas: ‘Todos serão ensinados por Deus’.  Todos os que ouvem o Pai e dele aprendem vêm a mim.” (Jo 6.43—45; At 17.24—31).  Temos base para uma vida segura, harmonizada e tranquila na Verdade, em Cristo Jesus!